Resenha: A Metamorfose – Franz Kafka

Título: A Metamorfose
Autor: Franz Kafka
Editora: Companhia das Letras
Ano: 2003 
Páginas: 96
Nota:  

Sinopse: A metamorfose é a mais célebre novela de Franz Kafka e uma das mais importantes de toda a história da literatura. Sem a menor cerimônia, o texto coloca o leitor diante de um caixeiro-viajante – o famoso Gregor Samsa – transformado em inseto monstruoso. A partir daí, a história é narrada com um realismo inesperado que associa o inverossímil e o senso de humor ao que é trágico, grotesco e cruel na condição humana – tudo no estilo transparente e perfeito desse mestre inconfundível da ficção universal.






Olá, leitores! Tudo bem com vocês? Hoje trouxe a resenha de um clássico da literatura, o livro é A Metamorfose, escrito por Franz Kafka. Espero que gostem da resenha. 


Pois bem, logo nas primeiras páginas de A Metamorfose, nós somos apresentados à Gregor Samsa, um rapaz que é caixeiro-viajante e que com seu emprego, sustenta toda a família. Gregor, em um dia normal, acorda e se encontra metamorfoseado em um grande inseto. Isso de certa forma é muito chocante, afinal, quem pode imaginar que isso um dia possa acontecer conosco? Gregor nem mesmo entende a sua situação, tanto que ele demora muito tempo para perceber o que ele é. Ele não tem mais a forma de um humano, ele não pode mais fazer as coisas que antes ele poderia fazer. Agora, ele é um inseto, uma criatura imunda, mas tudo bem, não é só isso. 

“Quando certa manhã Gregor Samsa acordou de sonhos intranquilos, encontrou-se em sua cama metamorfoseado num inseto monstruoso.”

Após acordar, Gregor percebe que não consegue se levantar da cama como normalmente fazia, ele não se preocupa muito com isso, na verdade, a única coisa em que ele consegue pensar é em como está super atrasado para o trabalho e para ir ao trabalho ele precisa se levantar, então ele tem que fazer um esforço anormal para levantar da cama. Afinal, ele não tem mais pernas, ele tem patas, patas que se balançam bem na sua frente. Gregor também sente as suas costas duras como uma couraça e isso tudo o impossibilita de levantar da cama. Mesmo que ele se balançasse para um lado e para o outro, ele não consegue levantar, então ele continua tentando e começa inventar desculpas para justificar sua ausência no trabalho. É nesse momento que ele escuta batidas na porta do quarto, é sua mãe avisando que falta pouco para as sete horas e que ele precisa partir.
Gregor tenta falar e avisar que ele está se levantando, mas até mesmo sua voz já não é a mesma. Nesse intervalo em que ele se levanta, ele ouve outras batidas, é sua mãe o avisando que o gerente do seu trabalho veio pessoalmente saber o que estava acontecendo. Gregor começa a ficar preocupado, afinal, não é todo o dia que ele recebe a visita do próprio gerente. Quando finalmente consegue se levantar, outro obstáculo aparece: abrir a porta. O que será de Gregor? Será que Gregor voltará a ser humano? Como a sua família reagiu quando ele abriu a porta? Isso vou deixar para você descobrir enquanto estiver lendo. 

Kafka faz uma grande crítica social à sociedade da época com a publicação dessa novela. A sociedade de que estou falando era uma sociedade extremamente ligada ao material, ao consumo, ao dinheiro, uma sociedade que esquece de valores, esquece dos sentimentos, das ligações familiares, enfim. Kafka também levanta a questão: até quando você é útil para a sociedade? Questões como: em uma sociedade como aquela, até quando as aparências são mais importantes que o caráter de uma pessoa? E devo dizer que ele faz isso divinamente, de forma sutil, mas precisa. 

“Estava deitado sobre o dorso, tão duro que
parecia revestido de metal, e, ao levantar um pouco a cabeça, divisou o
arredondado ventre castanho dividido em duros segmentos arqueados, sobre o qual
a colcha dificilmente mantinha a posição e estava a ponto de escorregar. Comparadas com o resto do corpo, as inúmeras pernas, que eram miseravelmente
finas, agitavam-se desesperadamente diante de seus olhos [… ]” 

O autor também soube desenvolver muito bem os ambientes em que a obra se passa, apesar de praticamente todas as cenas se passarem na casa onde Gregor e sua família vivem. Outro aspecto muito interessante dessa obra é o valor e a representação de cada personagem na história. Além disso, Franz Kafka soube causar o choque que eu presumo que ele queria causar, talvez não tanto pra nós que lemos essa obra atualmente, já que estamos muito acostumados a ver o egoísmo, a vaidade e o ódio prevalecerem na nossa sociedade, mas para uma sociedade que não ousava falar da sujeira atrás das aparências (ou do lixo debaixo do tapete), imagino que A Metamorfose tenha sido uma grande surpresa. 
Outro fator positivo da obra é que através das descrições do corpo de Gregor, do ambiente em que ele estava, do modo como a família o tratava, o autor soube me causar muita repugnância e estranheza. E o incrível disso, é que tudo é narrado em terceira pessoa com a melhor e maior naturalidade, isso me deixou embasbacada algumas vezes, justamente pelo fato do autor conduzir todos os acontecimentos bizarros de um jeito simples e como se tivesse tudo normal, tudo tranquilo. Isso foi genial. Enfim, eu poderia citar alguns outros pontos que me surpreenderam nessa obra, mas acho que vocês poderão descobrir essas coisas sozinhos e também porque acho que vocês vão gostar muito de ler esse livro, assim como eu gostei. E para quem tem um pouco de receio de ler clássicos por causa da linguagem utilizada, pode ficar tranquilo que a escrita de Kafka não é complexa. Você vai conseguir ler esse livro rapidinho e sem complicações. 
Se você leu até aqui, obrigada por ter lido e espero que tenha gostado. 
Beijo!

12 comentários sobre “Resenha: A Metamorfose – Franz Kafka

  1. Anônimo disse:

    Oi, Amanda!

    Parece ser um livro bem interessante. Quando você disse que ele é narrado em terceira pessoa e com a maior naturalidade , eu já me encantei pois amo livros relatados em terceira pessoa! Tá adicionado na minha lista!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

  2. Daniele Vieira disse:

    Olá
    Esse é um livro que gostaria muito de ler, sabe aquelas listas de livros para ler antes de morrer? Então.
    Esses livros que tratam da mente e do comportamento humano, acaba sempre se tornado atemporal, né? Nós adoramos pensar que crescemos e evoluímos, só que a gente lê livros como Metamorfose, e descobrimos não mudamos nada, podemos até ter tomado um pouco de consciência, mas mudar, não mudamos, é por isso que gostaria de poder ler esse livro.
    Beijos

  3. Morgana Brunner disse:

    Oiii Jess, tudo bem?
    Esse é um livro que morro de vontade de ler com toda certeza, mas ainda não tive a oportunidade, estou esperando os professores solicitarem na aula, que serpa meio obrigatório, parabéns pela resenha.
    Beijinhos

  4. Krisna Carvalho disse:

    Amanda, tudo bem?

    Esse livro é ótimoooo!!! Ele inquieta, é capaz de despertar diversos sentimentos no leitor. Uma obra densa, que preenche as poucas páginas muito melhor do que livros enormes!

    Adorei sua resenha, falou basicamente como me senti ao ler esse livro.

    beijo

  5. Livros & Tal disse:

    Oi Amanda…
    Acho que não existe um leitor que não conheça esse livro não é mesmo?
    Não tive a oportunidade de ler o livro e para falar a verdade acredito que ele não se enquadra muito no meu estilo de leitura, por isso, vou deixa a sua dica passar por hje

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

  6. Rafael Botter disse:

    Olá! Fiquei feliz em ver uma resenha de um livro que marcou minha adolescencia, estava naquela fase
    de odiar os livros nacionais e curtir livros estrangeiros. Gostei muito da sua resenha e curti que
    você também gostou da obra. Esse livro é um clássico!

  7. Ju disse:

    Nunca li o livro, mas assisti uma adaptação teatral que, pelo que você falou, conseguiu retratar bem o clima do livro, se ela me deixou embasbacada imagino essa leitura. Curto muito esse tipo de enredo que traz uma crítica à sociedade de uma época, e tratar as bizarrices como algo normal foi mesmo genial.

  8. Larissa Oliveira disse:

    Oi!
    Conheço o livro por conta de sua fama, afinal é Franz Kafka, mas confesso que nunca tive interesse em o ler, mesmo tendo curiosidade em saber o que acontece com o protagonista. Não faz o meu estilo de leitura e por isso passarei a dica.
    Beijos!

  9. Gabriela Cerqueira disse:

    Olá, sempre ouvia falar desse livro, ele é quase um clássico se é que nãao é, mas juro que nem sabia sobre o que ele se tratava e agora estou muito curiosa para saber o que aconteceu com o Gregor após sair do quarto, ótima dica, nos prendemos as vezes a n ler clássicos e perdemos ótimas histórias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *